Blue Dragon

14 anos se passaram e graças a retrocompatibilidade do xbox joguei esse JRPG que tem como um dos seus produtores Akira Toriyama. Para quem conhece Dragon Ball ou algum outro trabalho feito pelo akira irá achar tudo muito familiar, os traços dos personagens, suas personalidades e o próprio estilo gráfico é algo que fez eu me sentir familiarizado com jogo assim que começou a aventura.



Enredo

Blue Dragon é um bom jogo, longe de ter um enredo memorável mas é uma história que te faz querer continuar a aventura e ajudar Shu e seus amigos a lutarem contra o mal antigo que sonda o mundo. Aos poucos o jogador vai se familiarizando com os personagens, descobrindo suas fraquezas e forças e aumentando seus laços de amizade.


A história gira em torno de Shu e seus amigos que após uma tentativa de salvar sua vila de um ataque acaba ganhando poderes mágicos chamados de ‘Shadow’, uma sombra mágica que se projeta atrás dos personagens e lutam pelos protagonistas. A partir daí o jogador vai descobrindo aos poucos quem é o verdadeiro inimigo, o que são essas sombras, de onde vem, como eles conseguiram esse poder e várias outras reviravoltas que vão se desenrolando lá para o final do jogo.


Um outro ponto positivo que encontrei foi que apesar de ter um mapa grande e não ter nenhum tipo de marcação de objetivo no mapa para se movimentar pode se dizer que o jogo se desenrola de uma maneira mais linear pois se o jogador prestar atenção nos diálogos saberá exatamente o que fazer e onde ir.



Jogabilidade - É aqui que o jogo mais brilha

É um JRPG de turnos mas vai na contramão de muitos jogos da época, a começar pelo fato de você desviar do combate pois os inimigos ficam visíveis no mapa. Outra coisa interessante são as ‘skills de campo’ que são poderes que podem ser usados antes de entrar em combate, como por exemplo jogar uma bomba de atordoamento no inimigo fazendo com que você já comece a luta com uma vantagem.


O sistema de combate tbm é bem peculiar e confesso que demorei um tempo para me acostumar e montar uma build decente. O jogo possui diversas classes, cada uma com sua particularidade, o jogador deve escolher apenas uma e a cada evolução da classe vai liberando novos poderes daquela classe para serem usados.


Aqui vem a parte legal, todos os personagens possuem as mesmas classes para escolher e apesar de poder escolher apenas uma classe como padrão para evoluir, as skills liberadas ficam disponíveis para usar nas outras classes também, permitindo o jogador montar diversas builds para jogar, vou explicar melhor abaixo.


Eu posso estar com a classe ‘White Magic’ ativada no lvl 10 e tenho 3 skills de cura mas anteriormente eu estava jogando com a classe ‘Black Magic’ que está no lvl 20 e tenho 5 skills de ataque. Mesmo estando com a classe ‘White Magic’ ativada eu consigo utilizar as skills de ‘Black Magic’ tbm podendo mesclar meu personagens entre cura e ataque mágicos por exemplo.


Parece simples mas não é, o jogo não possui um sistema complexo de equipamentos para deixar o personagem mais forte, dá para equipar alguns acessórios para melhorar o personagem mas o que vai te levar a vencer o game é a build de evolução das classes. Cada classe possui uma árvore de skills grande e demorei para pegar o jeito e saber o que deveria evoluir com cada classe para meus personagens ficarem mais fortes.


Conclusão

Apesar de antigo é um jogo que envelheceu muito bem não dando aquela sensação de estar jogando algo arcaico, os gráficos são bons até para os dias atuais, além disso, Blue Dragon possui um bom enredo, uma ótima jogabilidade e a trilha sonora é um show a parte. É um prato cheio para os amantes de JRPG por turnos e fãs do Akira Toryama. O jogo também ganhou um anime que expande mais o universo, eu ainda não assisti mas caso alguém tenha interesse ta ai a dica.


Plataforma: Xbox One X

Gamertag: freedowsRoO


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tunic