Wasteland 3



Welcome to Colorado


Wasteland 3 é um RPG tático em tempo real com uma trama política genial que consegue deixar o jogador em constante conflito entre as escolhas que precisa fazer e consequentemente "conviver" com elas.


Enredo

Primeiramente vale ressaltar que não há necessidade de jogar os jogos anteriores para entender o 3, logo inicio há uma breve GC que resume os acontecimentos do jogo anterior, dito isso, sem mais delongas vamos ao que interessa.


Após os acontecimentos do segundo jogo, os Rangers mal estão sobrevivendo no Arizona por conta da falta de mantimentos e após ouvir um rumor de que um homem chamado Patriarca no Colorado poderia ajudar, os Rangers saem em missão para buscar ajuda e salvar sua comunidade, e obviamente que em um mundo pós apocalíptico a ajuda não sairia de graça.


Colorado é governado pelo Patriarca onde muitos o veem como herói e outros como um ditador e para ajudar os Rangers ele pede que tragam seus 3 filhos de volta para casa com vida, pois os filhos segundo ele podem trazer problema o seu governo. Tudo parece simples em um primeiro momento mas Colorado é cheio de perigos e em meio a gangues de palhaços, canibais, homens vestidos de feras, animais radioativos, robôs descontrolados e etc, também há toda uma complicação politica que envolve cada missão de captura.


É nesse plano de fundo que o jogo começa e conforme o jogo vai se desenrolando o jogador vai descobrindo segredos obscuros dos personagens a sua volta e sendo forçado a tomar decisões complexas que podem afetar o jogo como um todo e é aqui que o jogo brilha pois é impressionante como até as side quest tem importância no jogo, seja para descobrir mais informações que afetam a main quest, seja algo que pode afetar sua gameplay até o final do jogo.


Um pequeno exemplo disso foi uma side quest logo no começo do jogo. Recebi um chamado no rádio para ajudar uma família que estava sendo mantida refém por uma gangue, por querer explorar, demorei um pouco para ir atender o chamado e ao chegar no local a família inteira havia sido morta e isso gerou um efeito colateral lá no meio do jogo, fazendo com que o resto dos familiares ficassem contra mim.


É difícil mensurar todas as possibilidades de jornada que o jogo te proporciona, é um jogo que faz com que cada jogador tenha uma experiência única e isso é impressionante, é o tipo de jogo que da vontade de conversar com alguém e ficar discutindo as decisões que cada um tomou e as influências que teve na história e gameplay.


Jogabilidade

Como todo bom RPG aqui as possibilidades são diversas, há diversas builds para serem feitas e diversas formas de montar a equipe ideal para o estilo do jogador.


O jogador inicia com dois personagens e ao longo do jogo vai recrutando novos membros para a equipe podendo usar no máximo 5 ao mesmo tempo, além disso, todos os personagens possuem a mesma árvore de habilidades e atributos, dando liberdade para jogador montar builds individuais para cada membro da equipe.


A dica aqui é diversificar as habilidades de cada personagem como por exemplo, focar um personagem em tiros de longa distância e especialista em arrombamentos, outro em ataque corpo a corpo e especialista em desarmar bombas, hackeamento, encantamento de animais e etc.


Essa é a parte crucial do jogo, uma boa equipe pode tanto facilitar a jogatina como também acabar com a gameplay do jogador pois a morte no jogo é permanente, ou seja, se perder algum personagem em batalha, já era. Dica de ouro SALVE o jogo manualmente SEMPRE!


Outro ponto interessante é que com uma equipe bem diversificada por vezes é possível resolver problemas sem entrar em combate, como por exemplo evitar uma luta hackeando uma porta, ou intimidar um guarda quando se tem a habilidade "chuta-saco".


- Problemas técnicos

Sobre problemas técnicos tive apenas dois:


O primeiro era e algumas ocasiões o personagem não desviar de algumas portas e ficar travado na parede, porém ele sempre 'soltava' depois de alguns segundos e ia para o local que eu havia selecionado.


Outro ponto que me incomodou algumas vezes foram tiros que atravessavam algumas paredes. Em um jogo tático onde o cover é essencial isso não poderia ocorrer é algo que quebra o combate, mas também foi algo que apesar de ter acontecido algumas vezes não prejudicou a experiência no geral.


Gráficos

Bom, não é o tipo de jogo que se discute gráfico mas os gráficos agradam e são bons na medida certa.


Som

Em meus reviews dificilmente falo sobre som, mas quando falo é porque realmente é algo que faz a diferença. A trilha sonora não é algo que chame a atenção a todo momento, mas sempre está presente de maneira ideal nas batalhas contra os chefes e algumas vezes ao andar com o veículo pelo mapa.


Concluindo

Wasteland 3 é genial e outra joia rara que conheci graças ao gamepass, é de fato um jogo que todo mundo deveria experimentar e se aventurar pelas terras devastadas de Colorado.


Plataforma: Xbox Series X

Gamertag: freedowsRoO


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tunic